segunda-feira, junho 18, 2007

Uma emoção muito forte é...

... ler "Le requiem de Terezin" de (Josef Bor) com o embalo do Requiem de Verdi...



"Raphaël Schächter, pianiste et chef d’orchestre tchécoslovaque, arrive au camp de Terezin le 30 novembre 1941 et le quitte pour Auschwitz le 16 octobre 1944. Entre ces deux dates, il réussit, en dix-huit mois d’efforts désespérés, à répéter et à faire jouer le Requiem de Verdi. Josef Bor (1906-1979) raconte cette histoire vraie en s’inspirant des versets du Requiem et en associant sa réflexion sur l’histoire à une méditation sur la musique. Une oeuvre unique, d’une remarquable vitalité."

6 comentários:

Phwo disse...

Venho sempre por aqui. Não escrevo, mas venho sempre. E gosto.

Bandida disse...

é forte mesmo a emoção!

....


beijo I.


para quando?!...


B.
________________________

un dress disse...

a saber ...



beijO

Ida disse...

Tamos te esperando. Qdo vens? Beijinhos.

Denudado disse...

Eu li uma edição em português deste livro em Angola, bem no interior, lá no meio do mato...

Não me lembro bem do título em português, mas devia ser algo parecido com "Requiem em Teresin". É um livro impressionante, que retrata a "vida" e as humilhações sofridas por um conjunto de grandes músicos judeus, que estavam no campo de concentração nazi de Teresin, na actual República Checa, à espera de serem levados para o seu próprio extermínio em Auschwitz. Eles eram obrigados a tocar e a cantar para os seus carcereiros e carrascos. Atingiram a perfeição absoluta quando executaram o Requiem de Verdi, porque era o requiem por eles próprios que executavam!!!

É um livro impressionante, repito, tanto mais impressionante quanto o que relata são factos que aconteceram na realidade.

inominável disse...

tb me impressionou muito este livro... é pesado, mas quem quer literatura light vai... a outras páginas...