sábado, janeiro 27, 2007

migração

um dia também partirei com os pássaros
e saberei que amar-te
terá sido um instinto sazonal

13 comentários:

Rubens disse...

o pior é que só a partida te(nos) dará a resposta.
bonito aqui.

Macillum disse...

Pelo que podemos observar, só existe uma lei permanente: a lei das impermanências...

Luis Eme disse...

Talvez seja tudo sanzonal... apesar de, por vezes, pensarmos em palavras fixas e permanentes...

Ida disse...

Esse é o meu favorito de sempre. Tenho-o em uma pasta. Fico contente que o tenhas finalmente oferecido ao público. Tá no teu livro?

E, Luís, tenho certeza que já sabes que é tudo sazonal, pois nem o que fica permanece igual. Essa devia ser e primeira lição de todos os nossos aprendizados e, por ironia da nossa condição humana, é quase a última.

inominável disse...

eu sabia que ias gostar, Idinha... já o conhecias desde Aveiro... sobre o livro... falamos em Fevereiro... quando chegas a terras lusas? eu chego pelo meio do mês...

Anónimo disse...

inominável, tou cheia de saudades. chegas pr ainda comemorar o carnaval? ;)
kurika

Rafael Velasquez disse...

aprendi que é bom deixar ir...

inominável disse...

Kurika, como é que vai essa selva????

Nem sei quando é o Carnaval, mas se calhar estou mesmo por essas bandas... a ver... Também tenho saudades, mas a primeira coisa que farei é ir direitinha à Costa Nova e comprar um bom peixe fresco e enfiar o mar todo para dentro dos olhos...

Depois, surprise!!! Eu - o Regresso! (acho que é para aí o episódio 5)

ThreeImaginaryBoys disse...

eu acabo de regressar.... imaginary human

Ida disse...

Vou botar meu bloco na rua aí mesmo! Não me convidas para a Costa Nova, sua desnaturada! Mil beijos... hj sinto-me quase aí!

Ida disse...

Ou melhor, lá!

inominável disse...

claro que te convido para a Costa Nova, Idinha... onde pensas que vou rebentar os olhos contra as ondas?

beijos e até lá ;)

amf disse...

gostei especialmente deste poema. parabéns.