terça-feira, abril 24, 2007

Impressões de expressões

de duas exposições temporárias no Reina Sofia (Madrid), no passado fim-de-semana, surgem-me secas à garganta estas palavras...

da exposição de Darío Villalba - o homem encapsulado. a redoma. a solidão. a impenetrabilidade. a bilis. o fel. o medo. o anonimato. a castração.

da exposição de Chuck Close - as pessoas a ganhar significado apenas ao longe ou quando delas nos afastamos. de perto, pontos e pontos e pontos e pontos sem significado, abstraídos do conjunto que são. de perto, só os pedaços incoerentes e imperfeitos. quando nos afastamos, compomos a visão de conjunto e o que fica é afinal um rosto individualizado... afastamento e proximidade: duas formas de abstracção.

impossível ficar imune... ainda dizem que a arte não serve para nada...

3 comentários:

isabel victor disse...

"II Jornadas de Lengua Portuguesa y Cultura de los Países Lusófonos.
País convidado: Cabo Verde"

Badajoz, 20 y 21 de abril de 2007

Olha, que interessante ! Fui espreitar a tua outra "janela", a da Língua de fora, e gostei ... tem muita informação e muito útil !

deixo-te um beijo*

Ida disse...

Não serve, linda menina, pq quem diz isso quer que ela sirva para ganhar dinheiro e para explicar o óbvio... e óbvio não precisa de arte, nós é que precisamos, o óbvio basta-se a si mesmo... Beijo e que bom q voltaste!

Feliz 25 de abril... há dois anos, tava eu no Rossio... a ouvir Zeca Afonso... bem pertinho de vcs...

inominável disse...

este é o segundo ano de 25 de Abril em Berlim...