domingo, fevereiro 11, 2007

e porque é... "Inverno"

és a primavera que nunca chegou:
só um Inverno demasiado longo.....

primavera impotente
morta com todos os perfumes fechados
incapaz de aquecer ou de florir

arrefeço com o calor que ofereces:
um sol cínico e gelado já gasto
noutros corpos
noutros rostos
um sol afogado no brilho imóvel
imutável
das palavras

16 comentários:

Diogo disse...

Estes versos vêm contrariar a tese do aquecimento global.

inominável disse...

eh eh eh um comentário à António Gedeão...

eu passo por aquecimentos globais, desaquecimentos situados... é dentro que tudo arrefece ou derrete...

isabel victor disse...

... aquece !

Um abraço inominável pela boa Blogcompanhia que nos vais fazendo ...

Que tal as expectativas para logo ?

xatoo disse...

enquanto não chega a primavera, enfia-te na Berlinale
e que tal o The Good Shepperd" do Robert de Niro? - na verdae é ahistória da CIA - o que é que dizem por aí?

Anónimo disse...

Boooolas.
Não estás com contemplações... :)

...se me dedicassem esta prosa, acho que nunca mais recuperava...

Inominável? hoje acho que não. nem magana, nem safada, nem safardana, mas sim implacável! :D

O Good Shepperd, francamente, não me aqueceu nem me arrefeceu. Nem por fora nem por dentro :D

Vê-se bem, mas não é o filme que podia ser com aquele tema e actores.

Aliás, vale por isso, pelo tema e pelos actores, mas francamente acho que a realização não imprimiu grande dinâmina à história, a coisa ficou excessivamente cerebral...

Mas enfim, podem ter uma opinião completamente diferente da minha quando o virem...

Pedro

calózita disse...

gaiija, vem, vem, k eu ti aqueço!

;)

saudades!
bjufas

Luis Eme disse...

És uma poeta do caraças...

Anónimo disse...

obrigada pelo "caracas"... agora cm teclado frances que nao contempla "c" cedilha nem "a" com til...

PS - inominavel sem possibilidade de se bloggar

bruno .b.c disse...

duríssimo, sem nomes. mas
nem por isso escrita que não apeteça ler. e reler.
«arrefeço com o calor que ofereces». muito bom, amiga dos que estão aqui. para sempre.

como dizia o castello-lopes, a própósito da exposição do ccb
«oui non», que lhe interessa sobretudo fotografar a contradição, e o extremo dinamismo que, também esteticamente, ela encerra, também tu deixas quem lê na contradição; e neste caso, inverto o verso:
aqueço com o frio que ofereces.

abraço e boas andanças
e regressos.

o alquimista disse...

Um sorriso às vezes é solto na lágrima vinda do céu do teu mais profundo sentir...

Mágico beijo

inominável disse...

olha, olha; apareceu-me um Bruno Béu.... estava com saudade dos teus comentarios... é o que da escreveres assim...

Alice C. disse...

O inverno é assim...

philosophos disse...

o inverno são os outros e Sartre estava enganado.

Ida disse...

Lindona,
tu é q nao sabes onde fica a cedilha ou o c-cedilha, pois como fazem eles então? Desenham? ou nunca escrevem "Ça va"?...:p

Já tou quase lá!

inominável disse...

ich komme, ich komme... ai Idinha, aue saudades...

Rafael Velasquez disse...

abixo de você é verão... aqui no brasil!!!