segunda-feira, setembro 11, 2006

a vinha vida comigo lá dentro ou a memória a pregar partidas (Variações sobre o meu tema preferido)

Nao consigo dominar / Este estado de ansiedade
A pressa de chegar / P'ra nao chegar tarde

Nao sei de que é que eu fujo / Sera desta solidao
Mas porque é que eu recuso / Quem quer dar-me a mao

Vou continuar a procurar / A quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só:
Quero quem quem eu nunca vi / Porque eu só quero quem
Quem nao conheci /
Porque eu só quero quem / Quem eu nunca vi

Esta insatisfacao / Nao consigo compreender
Sempre esta sensação / Que estou a perder

Tenho pressa de sair / Quero sentir ao chegar
Vontade de partir / P'ra outro lugar

Vou continuar a procurar /A minha forma
O meu lugar / Porque até aqui eu só:
Estou bem aonde eu nao estou
Porque eu só quero ir / Aonde eu nao vou
Porque eu só estou bem / Aonde eu nao estou

(António Variações, para os mais esquecidos)

3 comentários:

SAT disse...

Ya, ganda malha do Tony Variações! A letra é simples mas sublime. Só ao alcance de um espírito superior.

inominável disse...

não acho que seja assim tão simples... aliás, a simplicidade (ou sua aparência) é o resultado de coisas muito complexas (pensamentos, emoções, realidades, processos, ...)

como tocar num botão na parede e fazer-se luz, como pôr um bocado de plástico num muro e sair dinheiro... como foder e fazer um filho...

inominável disse...

P., não sabia que tinhas tanta pressa de chegar a esse lugar... e não estavas tarde...