quarta-feira, maio 28, 2008

ingenuidade

os castanheiros resamarram-se
numa chuva de pólen
devagarinha

suave e alérgica à brisa
embate no alcatrão
e morre dos atropelos


(e os castanheiros ingénuos pensam que andam a fertilizar o bairro)
.

7 comentários:

D. Maria e o Coelhinho disse...

pois, dessas e doutras também apanhamos por aqui!

D Maria

Moon T disse...

O principal mal será sempre pensar...

(como nao fazia ideia do que aqui escrever saiu-me aquilo...)
mas fica a saudaçao e o elogio por um excelente blog)
obrigado

CCF disse...

Tenho dois castanheiros apanhados na serra a crescer nuns vasinhos...
~CC~

joão marinheiro disse...

Um dia publiquei no memorias um manual de instruções, ou a história dos carvalhos com botas...
E depois as árvores devem morrer de pé, na maioria morrem calcinadas...
Abraço com balanço do mar

Maria Muadiê disse...

que bonito...imagem linda. ferlizam o olhar, a poesia, a vida!

inominável disse...

eu só queria mesmo fertilizar o poema... saiu assim... um dia germinará...

Claudia Sousa Dias disse...

Adoro castanheiros e castanhas...

...e poemas sobre castanheiros- e ouriços também.

CSD