sexta-feira, setembro 21, 2007

... e esta música que não me sai da boca...

... por culpa de eu-sei-quem que me deu o CD "Clã e Sérgio Godinho ao Vivo" :)

Espalhem a notícia, Sérgio Godinho


Espalhem a notícia
do mistério da delícia
desse ventre
espalhem a notícia do que é quente
e se parece
com o que é firme e com o que é vago
esse ventre que eu afago
que eu bebia de um só trago
se pudesse

Divulguem o encanto
o ventre de que canto
que hoje toco
a pele onde à tardinha desemboco
tão cansado
esse ventre vagabundo
que foi rente e foi fecundo
que eu bebia até ao fundo
saciado

Eu fui ao fim do mundo
eu vou ao fundo de mim
vou ao fundo do mar
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher
vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher bonita

encontrei em http://amorizade.weblog.com.pt/arquivo/2004/10/espalhem_a_noti.html
.

17 comentários:

Claudia Sousa Dias disse...

lindo!

bjo e parabéns pelo bom gosto!

CSD

APC disse...

Ei, boltasti???

Letra de força para vozes de força. Ainda não ouvi. Fiquei curiosíssima.

Volto depois, com tempo e alma, para te ler como mereces, e eu também.

Bom regresso a casa!

Maria disse...

E que me ficou agora, mas apenas na Voz de Sérgio, embora também conheça a que referes....
"vou ao fundo do mar
no corpo de uma mulher"
é muito bonito...

Bj

Luis Eme disse...

Tenho o cd.

O Sérgio e a Manuela são um espectáculo!

un dress disse...

esse álbum é lindo.

lin do!!:)



.bem regressada!!




beijO

carol disse...

olá, adoro passar por aqui, me sinto livre do meu nome...não que seja feio, mas sei que não é meu!
abraço...

Rui Caetano disse...

A letra diz tudo.

legivel disse...

... o Sérgio é um rapaz com muita experiência de vida e um fôlego que só visto... que não é para qualquer um, "ir ao fundo do mar" e regressar para contar como foi.
Mas também (como qualquer mortal) se contradiz: "... que bebia de um só trago se pudesse." Então em que ficamos?! Sobram-lhe pulmões para ir ao "fundo do mar", mas para "beber um ventre* de um só trago" interroga-se...
Mas o mais inquientante vem nos finalmentes da lyric: "vou ao fundo do mar no corpo de uma mulher bonita". Mas o que raio pensa ele que é, uma mulher bonita?! Um submersível??!!
Bom. Não me adianto mais na prosa para que não se imagine que o que aqui debito, é mera dor de cotovelo.
O Sérgio é um músico de primeira água mas, também se estica de quando em vez...

* Neste contexto. "beber" pode ter conotações algo imprecisas. E a cerveja está fora de questão...

Prontos. Prometo voltar mais bem comportado.

inominável disse...

não te bem-comportes... fez-me tão bem rir-te...

bruno .b.c disse...

não a ouvi com a manuela.
(não preciso, em boa verdade:
tenho a do sérgio, que é
imensamente bela; muito mesmo
e por aí fora.)

K disse...

E espalhem-na depressa...antes que a música acabe...

aida monteiro disse...

:)

um abraço.

legivel disse...

... esta música não te sai da cabeça nem deste sítio.É a tal música que perpetua o local...

risos.

APC disse...

Hoje decidi: Tenho que linkar a No Name, pá! Não se admite!... Sempre que quero cá vir, tenho que andar às voltas pelos meus comentários em busca do endereço do blog.

Só uma coisa me preocupava: - Xi, jasus... Quando eu lá chegar, aquilo há-de ter um tal de bué para eu ler, keu nem sei!
Mas, afinal...?!
Cadê tu?
:-P

inominável disse...

ai, prometo novo post em breve... um poema!

tenho andado a mil... Ó APC, o teu comentário deu-me um novo alento... mi á-gu-ar-da, tá?

legivel disse...

.. como me derreto a ouvi-las a comentar em brasileiro do brasíu...

saravá Inominável!
saravá Apc!


Legível na Versão Carioca.

legivel disse...

... ah!, estou na biblioteca municipal. A preparar-me árduamente para comentar o poema a seguir. Antes, tinha pedido alguma ajuda ao meu antigo professor de português. Ele leu o poema e disse-me "O menino (o sacana do velho ainda me trata por menino e talvez com vontade de me puxar as orelhas... ) devia ter vergonha na cara. A ler estas coisas obscenas! Ah! Que falta faz a censura neste país. Mas deixe estar que ainda vou falar ao seu pai sobre este assunto."
Em suma: vai ser uma noite sem pregar olho a ver se escrevo alguma coisa que se veja...