domingo, agosto 26, 2007

finalmente...

... repondo à Idinha, sobre os livros 10 mais...

1. Shalimar, o Palhaço, de Salman Rushdie;
2. Em Nome da Terra, de Vergílio Ferreira;
3. L'étranger, de Albert Camus;
4. L'être et le néant, de J. P. Sartre;
5. Cien años de soledad, de Gabriel. G. Marques;
6. El llano en llamas, de Juan Rulfo;
7. As velas ardem até ao fim, de Sandor;
8. Tanta Gente, Mariana, de Maria Judite de Carvalho;
9. Antes que anoiteça, de Reinaldo Arenas;
10. (...)

19 comentários:

inominável disse...

... alguns já estão mencionados no perfil lateral... há outros a enriquecer a lista (e é tão loooooonga!)...

isabel victor disse...

Tudo bom !!!

Abraço-te :)

Claudia Sousa Dias disse...

"A Fogueira das vaidades" de tom wolfe...

CSd

inominável disse...

és má :)

Ida disse...

AO menos, Sartre, Camus e Garcia Marques ainda partilhamos e, se morássemos na mesma cidade, com certeza mais haveria. Tenho até medo de seguir teus conselhos de leitura, depois da "Pianista"!:) Mas, olha, ainda cá tenho um refém que espero trocar mais dia menos dia. Beijos!

inominável disse...

Idinha, se morassemos na mesma cidade, partilhávamos as bibliotecas...

Anónimo disse...

eu se morasse perto de voçês as duas deixava-me partilhar todo

Ida disse...

E, cá entre nós, meu caro anônimo, dependendo do seu prefácio, encadernação e qualidade da impressão... nós, com certeza, faríamos uma ótima leitura partilhada!...

...nos intervalos das bibliotecas, não achas, Menina sem nome?

Ida disse...

Mas "vocês" com ce cedilha atenta contra a qualidade da obra!!!

inominável disse...

olarilas.... aí está um comentário que deixa muito a pensar... e ainda dava para ler em várias línguas...

Mar Arável disse...

Por si e por aveiro

recomendo

legivel disse...

... ena! a Maria Judite de Carvalho numa lista!! Desses dez, nunca li nada do Juan Rulfo e do Arenas tenho mais dúvidas que çertezas*. Desses dez, "L´étranger" foi a primeira obra que li do do meu homónimo e fiquei cliente.

Regresso de viagem. Para mais conversa sobra a dita e no que se refere a Berlin (e se o desejares) aqui fica o meu contacto:

bertoliveira@sapo.pt

* quando não há certezas, o melhor é mesmo cedilhar o "c". De preferência com uma cedilha cheia de risos.

Anónimo disse...

vossês ção demais

Obrigado pelo reparu e penço que a partirre dagora vou quluquar muitu mais atenssão ao que escrevu

inominável disse...

ah ah ah ah

só um comentário assim para me fazer rir às gargalhadas, entre trabalho interminável e uma carta a dizer que preferiram alguém com outro perfil...

a prova de que a vida continua ;)

Ida disse...

Delícia! Então a obra tem um atributo importantíssimo: humor! Desde já, merece uma "folheada" atenta, não achas Menina sem nome???

Adorei, também!

Ida disse...

Qto ao xará do meu pai, nascido em França, eu sou fã incondicional de "La peste", não canso de ler e reler, é tão "a alma humana dissecadinha" que mete impressão.

PS: é a primeira vez que encontro uma cedilha risonha... gostei dessa.

inominável disse...

define "folheada"... é que se saem umas "páginas amarelas", é como diz o slogan: "vá pelos seus dedos"... LOL

Ida disse...

Menina! Acho que o moço assustou! Tu, também, sempre com essas manias digitais!!!




PS: Me acabei de rir! Beijos! E, btw, podias tirar essa bendita verificaçao por letras... já sabes mesmo que as máquinas de spam não se interessam por poesia, nem têm humor aguçado! ANda lá, vai, que isso é uma seca!

un dress disse...

escrevo...:)

e pra onde escrevo...?




beijO